top of page
  • Foto do escritortabelasplanosdesaudeba

COPARTICIPATIVO | Tabela Plano de Saude Empresarial

Atualizado: 11 de fev. de 2023


Como funciona um plano de saúde com coparticipação

Quem opta por esse tipo de seguro, gasta menos na mensalidade quando comparado a um plano tradicional, mas precisa pagar por consultas e exames. Confira como funciona um plano de saúde com coparticipação!


COPARTICIPATIVO | Tabela Plano de Saude Empresarial

O plano de saúde que tem coparticipação é bem parecido com um seguro tradicional, pois em ambos os casos, você paga as parcelas mensais e tem direito a atendimento na rede credenciada. A diferença, no caso da coparticipação, é que você paga por cada exame ou consulta que fizer, além da mensalidade do plano.

Por conta desta diferença, a parcela cobrada mensalmente no plano de coparticipação custa menos do que a mensalidade de um seguro tradicional. Então, quem não precisa de tantas consultas ou exames com frequência tende a gastar menos com a coparticipação.

COPARTICIPATIVO | Tabela Plano de Saude Empresarial

COPARTICIPATIVO | Tabela Plano de Saude Empresarial




Tabela Plano de Saude Empresarial | Casseb Saude










TERMOS USADOS - SAIBA MAIS

AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE/ANS: autarquia sob regime especial vinculada ao Ministério da Saúde, com atuação em todo o território nacional, como órgão de regulação, normatização, controle e fiscalização das atividades que garantem a saúde suplementar.

ÁREA DE ABRANGÊNCIA GEOGRÁFICA: área em que a operadora se compromete a garantir todas as coberturas de assistência à saúde contratadas pelo beneficiário.

ATENDIMENTO ELETIVO: termo usado para designar os atendimentos médicos que podem ser programados, ou seja, que não são considerados de urgência e emergência.

ATENDIMENTO OBSTÉTRICO: todo atendimento prestado à gestante, em decorrência da gravidez, parto, aborto e suas consequências.

BENEFICIÁRIO: pessoa física, titular ou dependente, que possui direitos e deveres definidos em contrato assinado com a operadora de plano privado de saúde, para garantia da assistência médico-hospitalar.

CÁLCULO ATUARIAL: é o cálculo com base estatística proveniente da análise de informações sobre a frequência de utilização, perfil do associado, tipo de procedimento, efetuado com vistas a manutenção do equilíbrio técnico-financeiro do plano e definição de mensalidades a serem cobradas dos beneficiários pela contraprestação.

CARÊNCIA: período corrido e ininterrupto, contado a partir da data de início da vigência do contrato, durante o qual o contratante paga as contraprestações pecuniárias, mas ainda não tem acesso a determinadas coberturas previstas no contrato.

CID-10: é a Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde, da Organização Mundial de Saúde, 10ª revisão.

COBERTURA PARCIAL TEMPORÁRIA (CPT): aquela que admite, por um período ininterrupto de até 24 meses, a suspensão da cobertura de Procedimentos de Alta Complexidade (PAC), leitos de alta tecnologia e procedimentos cirúrgicos, relacionados exclusivamente às doenças ou lesões preexistentes – DLP declaradas pelo beneficiário ou seu representante legal por ocasião da contratação ou adesão ao plano privado de assistência à saúde.

CO-PARTICIPAÇÃO: é a participação na despesa assistencial a ser paga pelo beneficiário diretamente à operadora, após a realização de procedimento.

CONSULTA: é o ato realizado pelo médico que avalia as condições clínicas do beneficiário.

DEPENDENTE: Beneficiário de plano privado de assistência à saúde cujo vínculo com a operadora depende da existência do vínculo de um beneficiário titular. Pessoa física com vínculo familiar com o beneficiário titular do plano de saúde, de acordo com as condições de elegibilidade estabelecidas no contrato. No plano individual, titular e dependentes devem estar no mesmo plano. Nos planos coletivos, titulares e dependentes podem estar no mesmo plano ou em planos diferentes de acordo com o estabelecido pela pessoa jurídica contratante.


PROCEDIMENTO ELETIVO: é o termo usado para designar procedimentos médicos não considerados de urgência ou emergência e que podem ser programados.

TITULAR: é o beneficiário de plano privado de assistência à saúde cujo contrato o caracteriza como detentor principal do vínculo com uma operadora.

DOENÇA: é o processo mórbido definido, tendo um conjunto característico de sintomas e sinais, que leva o indivíduo a tratamento médico.


Como funciona um plano de saúde com coparticipação  Quem opta por esse tipo de seguro, gasta menos na mensalidade quando comparado a um plano tradicional, mas precisa pagar por consultas e exames. Confira como funciona um plano de saúde com coparticipação!  O plano de saúde que tem coparticipação é bem parecido com um seguro tradicional, pois em ambos os casos, você paga as parcelas mensais e tem direito a atendimento na rede credenciada. A diferença, no caso da coparticipação, é que você paga por cada exame ou consulta que fizer, além da mensalidade do plano.  Por conta desta diferença, a parcela cobrada mensalmente no plano de coparticipação custa menos do que a mensalidade de um seguro tradicional. Então, quem não precisa de tantas consultas ou exames com frequência tende a gastar menos com a coparticipação.

Posts recentes

Ver tudo
corretora vendas de planos de saude
bottom of page